Vista aérea do Santuário recebendo devotos do Pe. Ibiapina na última Romaria do dia 19 de fevereiro.

Nesta segunda-feira, 05 de agosto, dia em que celebramos os 213 anos do nascimento do Servo de Deus Padre Mestre Ibiapina, uma notícia enche de alegria a Diocese de Guarabira. Dom Aldemiro Sena dos Santos, bispo diocesano, foi comunicado que a Congregação da Paixão de Jesus Cristo – Passionistas, com experiência em administração de Santuários e Escolas, entre outros projetos, assumirá a missão evangelizadora no Santuário Padre Ibiapina, situado em Santa Fé, município de Solânea.  O Revmo. Pe. Giovanni Cipriani, Superior Provincial, deu a boa nova ao bispo de Guarabira.

Sobre os passionistas

São um grupo de cristãos, sacerdotes e leigos, que vivem em comunidade fraterna, dispostos a anunciar aos homens e às mulheres do nosso tempo o Evangelho de Cristo. Esta comunidade de apóstolos foi fundada por São Paulo da Cruz (Paulo Francisco Danei: 1694-1775) na Itália, no ano de 1720.

O Fundador descobriu na Paixão de Jesus Cristo “a maior e a mais admirável obra do amor divino” e a revelação do poder de Deus que elimina a força do mal com o dinamismo da Ressurreição.

Paulo da Cruz confiou aos seus seguidores a tarefa de anunciar aos seus contemporâneos o amor de Deus por cada pessoa, manifestado na Paixão e Morte de Cristo e tornado vitorioso pela Ressurreição.

Os Passionistas comprometem-se, através de um voto especial, a promover a memória da Paixão de Cristo (Memoria Passionis) com a palavra e com a própria vida. Procuram fazê-lo, sobretudo, com a pregação e com a sua presença junto dos pobres e dos marginalizados por qualquer razão; enfim, junto de todos os “crucificados” do mundo atual.

Outra característica importante dos Passionistas é a vida comunitária. Na fraternidade passionista tudo é comum e a mesma dedica um grande espaço de tempo à oração e à contemplação. Os Passionistas são, por assim dizer, contemplativos ativos; ou seja, unem de modo criativo a contemplação com a sua atividade pastoral.

Os Passionistas, atualmente, são mais de dois mil. Estão presentes em 56 nações dos cinco continentes. São governados por um Superior Geral, eleito para um mandato de seis anos, tendo como ajuda um Conselho formado por seis Consultores, representantes das várias áreas geográficas. O Superior Geral reside em Roma – Itália (Piazza Ss. Giovanni e Paolo, 13 – 00184 Roma – Tel. 06.77.27.11). Esta casa é também a sede do Estudantado Internacional. A Congregação divide-se territorialmente por Províncias, Vice-Províncias e Vicariatos, consoante o número de religiosos existentes em determinadas áreas.

Hoje, o Brasil possui duas Províncias: a nossa, Província da Exaltação da Santa Cruz, e, a Província do Calvário. O nome oficial da Congregação Passionista é Congregação da Paixão de Jesus Cristo.

Sobre o 05 de agosto

O padre Ernando Luiz Teixeira de Carvalho – sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (IHGP), relatou:

Dia cinco de agosto de 1585 marca o dia das pazes entre colonizadores e nativos em nossa terra. No calendário católico é o dia da dedicação da Basílica de Nossa Senhora das Neves, Santa Maria Maior, em Roma. O dia ficou registrado para nossa história e celebrado entre nós, religiosamente, durante os séculos. Já são 434 anos!

Mas também no dia cinco de agosto celebramos o nascimento do Padre José Antonio de Maria Ibiapina. O grande missionário veio ao mundo no município de Sobral-CE, em 1806, e neste ano de 2019 comemoramos seu 213º aniversário. Formando-se em Direito, em 1832, atuou como professor, juiz, chefe de polícia, deputado e advogado, sempre se destacando como defensor de pobres e oprimidos. Mas, como escreveu seu primeiro biógrafo, o Dr. Ibiapina não estava satisfeito e observava: “Desde o Chefe da Nação até o último dos magistrados não vejo senão fingimentos, mentiras e traições… Todas as paixões se tinham feito aceitáveis em política, o vício era igual à virtude, o patriotismo ao egoísmo, a probidade à hipocrisia; e só se distinguiam os indivíduos pela força de suas bajulações e maior servilismo”. Para quem lê agora, até parece que essas reflexões são sobre o Brasil atual!

E, nas voltas que o mundo dá, um dia ele se rendeu totalmente à graça de Deus e se deixou elevar às alturas do Cristo pela ordenação sacerdotal. Daí, à semelhança do próprio Jesus, foi direto ao encontro dos empobrecidos, empesteados, coléricos, famintos, órfãs, doentes, sobreviventes das secas, infelizes e desvalidos de toda sorte. Ibiapina procurou associar suas pregações às necessidades materiais e sociais do povo mais sofrido, conseguindo transformações radicais em todo o Nordeste.

Vale ressaltar o que escreveu um Irmão da Caridade que sempre o acompanhava nas missões: “Quem poderá descrever todas as particularidades dos dons do coração do nosso Santo Apóstolo Ibiapina? Um coração angélico, puro, simples, casto, humilde, desinteressado, benfazejo e tão dedicado ao amor de Deus e do próximo, que era abrigo seguro da orfandade, remediador dos infelizes, consolador dos aflitos, enternecido das misérias humanas…”.

Especialmente em Sobral, onde nasceu, e em Santa Fé, município de Solânea, onde morreu e foi sepultado, fervorosa é a devoção dos romeiros neste dia cinco de agosto. Os devotos chegam de muitos lugares para celebrar com amor e alegria, o feliz aniversário daquele que além de Padre-Mestre, é também chamado de Pai dos Pobres, Missionário da Caridade, Apóstolo do Nordeste.

Em processo de canonização, já reconhecido como Servo de Deus, aguardamos com fé que os milagres apareçam para que seja, oficialmente, reconhecido pela Igreja como santo: será, então, São José Ibiapina! Que Nossa Senhora das Neves interceda por ele, seu grande devoto, e por todos os que procuram seguir o Caminho que é Jesus.

PASTORAL DA COMUNICAÇÃO (PASCOM)
DIOCESE DE GUARABIRA