1º CÍRCULO – MARCOS 2, 23-3,6

Exultai no Senhor, a nossa força!                 (Salmo 80/81)

  1. Preparação do ambiente

 

  1. a) Com símbolos condizentes com o evangelho do dia.
  2. b) Acolher com alegria os participantes, valorizando as pessoas que moram na casa e os membros do Grupo.
  3. Oração inicial

 

  1. a) Invocação às luzes do Espírito Santo, cantando (A nós descei, divina luz).
  2. b) Recordação da vida ou revisão do dia (fazer memória dos acontecimentos da comunidade, do Grupo, das famílias, do mundo em que vivemos).
  3. Chave de Leitura

Dirigente: Sábado para o Judeu é o dia do Descanso em Deus, é voltar para ele por inteiro, concentrando a mente e o coração em Deus, Criador e Libertador do homem. Por isso, todas as outras tarefas tornam-se relativas, inclusive o trabalho de colher espigas. Nesse dia parava tudo, antecipava-se na sexta todas as tarefas e reservava o sábado somente para Deus.

Leitor 1. Para o Mestre, a finalidade da Lei era propiciar ao ser humano uma autêntica experiência de encontro com a vontade de Deus. Jesus pregava uma fidelidade criativa à Lei, de modo que, ao praticá-la, as pessoas fossem contempladas em suas necessidades.

  1. 4. Olhar a prática de Jesus
  2. Vamos ouvir a Palavra de Deus. A leitura do texto da Bíblia é um momento solene. É Deus quem nos dirige a palavra. Por isso, vamos abrir o Coração para Ele, entoando um canto de aclamação.

 

  1. b) Ler atentamente o texto Mc 2, 23-3,6 (o que diz o texto)?
  2. c) Momento de silêncio para a Palavra de Deus poder calar dentro de nós.

Meditando a Palavra

Dirigente:  As leis e regras são feitas para favorecerem às pessoas, defendendo ou garantindo seus direitos. Porém, quando a lei é colocada acima da pessoa, ela perde seu sentido, tornando-se opressora impiedosa.

Para refletir

O que mais chamou sua atenção neste texto? Por que?

– Sinto-me uma pessoa próxima dos meus irmãos?

– Sensibilizo-me com as necessidades das pessoas?

– Qual é a minha escala de valores?

  1. Celebrar a vida em Comunidade

Preces: O que o texto nos faz dizer a Deus? Colocar em forma de prece o que refletimos sobre o evangelho e sobre a nossa vida. Como resposta, após cada prece digamos: “Fazei-nos, Senhor, servidores do vosso Reino! ” Terminar esta parte com um Pai Nosso.

  1. Bênção Bíblica: Invoquemos, com confiança, a bênção do Senhor: O Senhor nos abençoe e nos guarde! O Senhor nos mostre o seu rosto brilhante e tenha piedade de nós! O Senhor nos mostre o seu rosto e nos conceda a paz! (Nm 6,24-27).

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!

Todos (as): Para sempre seja louvado!

 

2º CÍRCULO – MARCOS 3, 20-35

No Senhor toda graça e redenção! (Sl 129/130)

  1. Preparação do ambiente

 

  1. a) Com símbolos condizentes com o evangelho do dia.
  2. b) Acolher com alegria os participantes, valorizando as pessoas que moram na casa e os membros do Grupo.

 

  1. Oração inicial

 

  1. a) Invocação às luzes do Espírito Santo, cantando (A nós descei, divina luz).
  2. b) Recordação da vida ou revisão do dia (fazer memória dos acontecimentos da comunidade, do Grupo, das famílias, do mundo em que vivemos).
  3. Chave de Leitura

Dirigente: Hoje, vamos ler um texto de Marcos que mostra a relação de Jesus com as pessoas. Veremos claramente sua acolhida incondicional à multidão que o procura. Jesus não se fecha diante das necessidades de um povo sedente de vida, desprezado, abandonado. Por outro lado, encontra sérias dificuldades no relacionamento com seus familiares, com os doutores da lei e fariseus. No final do texto, há uma proposta bem clara de Jesus para nós.

  1. 4. Olhar a prática de Jesus
  2. Vamos ouvir a Palavra de Deus. A leitura do texto da Bíblia é um momento solene. É Deus quem nos dirige a palavra. Por isso, vamos abrir o Coração para Ele, entoando um canto de aclamação.
  3. b) Ler atentamente o texto Mc 3, 20-35 (o que diz o texto)?
  4. c) Momento de silêncio para a Palavra de Deus poder calar dentro de nós.

 

Meditando a Palavra

Dirigente: O evangelho proclamado nos leva a descobrir a verdadeira família à qual nós pertencemos: a família dos filhos e filhas de Deus, que procura conhecer e por em prática a vontade do Pai e participar do seu projeto de construção do mundo novo, da civilização do amor, sinal do Reino definitivo.

Para refletir

 O que atraia tanta gente ao redor de Jesus e dos seus discípulos e discípulas?

– Qual a relação dos familiares de Jesus, diante da sua entrega sem limites?

– Qual o julgamento dos doutores da lei a respeito do poder de Jesus sobre os demônios?

– Qual a proposta de Jesus para gerar um novo relacionamento, sinal do Reino de   Deus?

–  O que nos une em família e em comunidades hoje em dia?

  1. Celebrar a vida em Comunidade

Preces: O que o texto nos faz dizer a Deus? Colocar em forma de prece o que refletimos sobre o evangelho e sobre a nossa vida. Como resposta, após cada prece digamos: “Fazei-nos, Senhor, servidores do vosso Reino! ” Terminar esta parte com um Pai Nosso.

Oração conclusiva

Pai Santo, todas as vezes que seguirmos teu Filho, orando com Ele “Seja feita a tua vontade”, faze-nos recordar o que isto significa: que desejamos conformar a nossa vontade com a tua Vontade e, assim, fazermo-nos teus filhos, como o Cristo Jesus, que contigo reina na unidade do Espírito Santo.

  1. Bênção Bíblica: Invoquemos, com confiança, a bênção do Senhor: O Senhor nos abençoe e nos guarde! O Senhor nos mostre o seu rosto brilhante e tenha piedade de nós! O Senhor nos mostre o seu rosto e nos conceda a paz! (Nm 6,24-27).

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!

Todos (as): Para sempre seja louvado!

 

3º CÍRCULO – MARCOS 4, 26-34

Como é bom agradecermos ao Senhor. (Salmo 91/92) 

  1. Preparação do ambiente

 

  1. a) Com símbolos condizentes com o evangelho do dia.
  2. b) Acolher com alegria os participantes, valorizando as pessoas que moram na casa e os membros do Grupo.

 

  1. Oração inicial

 

  1. a) Invocação às luzes do Espírito Santo, cantando (A nós descei, divina luz).
  2. b) Recordação da vida ou revisão do dia (fazer memória dos acontecimentos da comunidade, do Grupo, das famílias, do mundo em que vivemos).

 

  1. Chave de Leitura

Dirigente: Durante a leitura, vamos prestar atenção no seguinte Quais as qualidades das sementes que Jesus destacar nestas duas parábolas

  1. 4. Olhar a prática de Jesus
  2. Vamos ouvir a Palavra de Deus. A leitura do texto da Bíblia é um momento solene. É Deus quem nos dirige a palavra. Por isso, vamos abrir o Coração para Ele, entoando um canto de aclamação.

 

  1. b)  Ler atentamente o texto Mc 4, 26-34 (o que diz o texto)?
  2.  c)  Momento de silêncio para a Palavra de Deus poder calar dentro de nós.

Meditando a Palavra

Dirigente: A parábola foi a maneira escolhida por Jesus para ensinar. Ela tornou-se o traço mais forte, a marca registrada da sua pregação. Era assim que Ele transmitia para as pessoas simples as verdades profundas do Reino dos céus.

Para refletir

O que sentiu dentro de você ao ouvir esta leitura?

Qual a mensagem da semente que germina e cresce sem percebermos?

– O que esta parábola nos ensina sobre o Reino de Deus?

– Qual a mensagem da parábola da semente de mostarda?

– O que a semente de mostarda nos ensina?

  1. Celebrar a vida em Comunidade

Preces: O que o texto nos faz dizer a Deus? Colocar em forma de prece o que refletimos sobre o evangelho e sobre a nossa vida. Como resposta, após cada prece digamos: “Fazei-nos, Senhor, servidores do vosso Reino! ” Terminar esta parte com um Pai Nosso.

Oração conclusiva

Pai, dá-me sensibilidade para perceber teu Reino acontecendo no meio de nós, aí onde lutamos para a construção de uma sociedade mais humana e fraterna. Amém!

  1. Bênção Bíblica: Invoquemos, com confiança, a bênção do Senhor: O Senhor nos abençoe e nos guarde! O Senhor nos mostre o seu rosto brilhante e tenha piedade de nós! O Senhor nos mostre o seu rosto e nos conceda a paz! (Nm 6,24-27).

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!

 Todos (as): Para sempre seja louvado!

4º CÍRCULO – LUCAS 1, 57-66.80

Eu vos louvo e vos dou graças, ó Senhor, porque de modo admirável me formastes! (Salmo 138/139)

  1. Preparação do ambiente

 

  1. a) Com símbolos condizentes com o evangelho do dia.
  2. b) Acolher com alegria os participantes, valorizando as pessoas que moram na casa e os membros do Grupo.

 

  1. Oração inicial

 

  1. a) Invocação às luzes do Espírito Santo, cantando (A nós descei, divina luz).
  2. b) Recordação da vida ou revisão do dia (fazer memória dos acontecimentos da comunidade, do Grupo, das famílias, do mundo em que vivemos).

 

  1. Chave de Leitura

Dirigente: A natividade de João Batista, único santo que no calendário da Igreja, tem comemorado o seu nascimento, se reveste de fundamental importância na história da salvação, justamente por ser um elemento divisor entre o tempo chamado das promessas, e o tempo do cumprimento das mesmas.

  1. 4. Olhar a prática de Jesus

 

  1. Vamos ouvir a Palavra de Deus. A leitura do texto da Bíblia é um momento solene. É Deus quem nos dirige a palavra. Por isso, vamos abrir o Coração para Ele, entoando um canto de aclamação

 

  1. b) Ler atentamente o texto Lc 1, 57-66.80 (o que diz o texto)?
  2. c) Momento de silêncio para a Palavra de Deus poder calar dentro de nós.

Meditando a Palavra 

Dirigente: O profeta é uma seta que nos mostra o caminho. Ele é a voz que nos mostra a única palavra que nos liberta e nos salva: a Palavra eterna de Deus. Nós, hoje, celebramos, com muito amor e devoção, a festa de São João Batista. Hoje, celebramos o nascimento de João Batista aqui para a Terra. Em agosto, celebramos o seu nascimento para o céu, o seu martírio.

Para refletir

– O que sentiu dentro de você ao ouvir este texto?

– Você consegue ser a voz de Deus no contexto em que vive?

– Você procura levar sempre a Boa Nova do Evangelho?

– Conhece algum Zacarias (profeta) nos dias de hoje?

  1. Celebrar a vida em Comunidade

Preces: O que o texto nos faz dizer a Deus? Colocar em forma de prece o que refletimos sobre o evangelho e sobre a nossa vida. Como resposta, após cada prece digamos: “Fazei-nos, Senhor, servidores do vosso Reino! ” Terminar esta parte com um Pai Nosso.

Oração conclusiva

Pai, dá-me sensibilidade para perceber teu Reino acontecendo no meio de nós, aí onde lutamos para a construção de uma sociedade mais humana e fraterna.

  1. Bênção Bíblica: Invoquemos, com confiança, a bênção do Senhor: O Senhor nos abençoe e nos guarde! O Senhor nos mostre o seu rosto brilhante e tenha piedade de nós! O Senhor nos mostre o seu rosto e nos conceda a paz! (Nm 6,24-27).

 Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!

Todos (as): Para sempre seja louvado!

COMPARTILHAR