O papa Francisco tem insistido na necessidade de criar pontes e não muros.  Esta afirmação tem presente o que acontece na Europa em relação aos refugiados para os quais os muros se erguem. Para além da Europa, o pensamento do papa é uma grande lição para todos nós. O ser humano existe para se relacionar e viver em sociedade ou comunidade como costumamos nominar. Construir pontes significa aproximar pessoas, famílias, nações, etc.

Podemos dizer que a era da comunicação hoje tem cumprido esse papel? Sem dúvida alguma podemos constatar um grande avanço diante das inúmeras possibilidades da comunicação entre nós. O que acontece? como estamos nos utilizado desses meios e ferramentas que estão ao nosso alcance?

Sem dúvida alguma temos hoje uma grande facilidade na comunicação via internet. Como se tornou fácil articular pessoas, famílias, grupos, etc. Como se costuma afirmar, que o mundo se tornou uma aldeia global.

Na grande rede da comunicação devemos perceber as grandes vantagens e avanços e os grandes riscos que corremos. Com a velocidade da comunicação, tudo se torno vulnerável e passageiro; acontece uma sucessão de notícias com tanta rapidez que não se consegue acompanhar o que de fato está acontecendo.

O empoderamento da população é um aspecto por um lado positivo, mas, por outro, extremamente frágil e preocupante. As postagens não apresentam apenas um conteúdo mas a exposição da pessoa. Como se costuma afirmar: uma vez na rede, permanecerá na rede. Talvez a falta de clareza a respeito dessa realidade faça com que muitas pessoas se exponham indevidamente e se prejudiquem com essa realidade da mídia.

Diante da abundância de informações, as pessoas não produzem mais, isto, não expõem o seu próprio pensamento; apenas reproduzem ou compartilham o que recebem, sem terem clareza do conteúdo e da veracidade das fontes. As chamadas notícias falsas estão muito presentes hoje na mídia e tudo vai sendo compartilhado.

Quando se expõe as próprias ideias muitas vezes é para julgar e agredir os outros; aquilo que não diria olhando no olho, aproveito para dizer nas redes sociais e acabo fazendo prova contra mim numa ação judicial que possam mover pelo conteúdo ofensivo que produzi ou reproduzi. Não podemos perder de vista a importância que tem essa ferramenta em nossas mãos, sem esquecer de que ela se assemelha a uma arma que poderá também difundir o mal e destruir a as pessoas.

Entre as tantas dependências que temos, a internet tem gerado também comportamentos de dependência e impedido a comunicação entre grupos e inclusive dentro de casa. O contato com o mundo virtual tem atrapalhado o diálogo entre pais e filhos que juntos no mesmo teto se comunicam pela zap.

Os adolescentes que ficam noites inteiras nas redes sociais, além de outras dependências, já não conseguem mais viver a liberdade de adolescentes e jovens.

Todos os veículos de comunicação não podem nos impedir de criar pontes e viver em comunidade e, com liberdade, aproveitar de tudo o que de bom existe.

Antes de qualquer postagem ou compartilhamento vale a pena um momento de reflexão e discernimento.

Pe. João Bosco Francisco do Nascimento

COMPARTILHAR