Dentro das comemorações e programação do Ano Nacional do Laicato, a Diocese de Guarabira (PB), a partir da organização da Equipe de Articulação, criará o Conselho Diocesano do Laicato (CDL), fundamentando o trabalho na articulação com as paróquias e as foranias.

A diocese de Guarabira, interior paraibano, tem 30 paróquias e 3 áreas pastorais, e uma população com elevados níveis de desigualdade sociocultural, política e econômica, e, nas últimas décadas, diversas equipes tentaram criar o Conselho Diocesano do Laicato, e, por inúmeras situações, não obtiveram êxito.

Conforme o padre João Bosco Francisco do Nascimento, atual coordenador diocesano de pastoral, a organização do Laicato na diocese sempre foi um desafio e “os contextos locais, com diversos equipes diferentes de trabalho, durante os últimos 17 anos, impuseram mudanças que inviabilizaram processos consistentes de articulação. Até tivermos um conselho decretado, mas, pela dinâmica própria dos grupos, movimentos, pastorais e, claro, ainda pouca consciência da importância e função deste colegiado, os trabalhos não aconteceram e tivemos um interstício longo de desarticulação”, relatou.

Depois da posse de Dom Aldemiro Sena, em fevereiro passado, e com o renovado ardor trazido pelas discussões em torno do Documento 105, a nova equipe de articulação diocesana, constituída junto ao CNLB NE 2, retomou o processo e, “depois de amplo planejamento, com inúmeras reuniões, e mesmo com os naturais desafios da ação pastoral, conseguimos participar ativamente junto ao CNLB Regional e Nacional, e, assim, fortalecemos o trabalho do equipe na Diocese, culminando, agora, com o Conselho”, lembrou Arimatéia Farias, articulador da equipe.

Subsídios

A Equipe de Articulação, junto à Coordenação de Pastoral, além dos materiais produzidos pelo CNLB, preparou uma série de orientações para as paróquias, propondo estudos e indicando os passos a serem seguidos na construção dos Conselhos Paroquiais, em preparação ao Conselho Diocesano. “Foram elaborados folders, panfletos e apresentações de slides e, com eles e a partir dos mesmos, as paróquias fizeram outros que foram utilizados como parte do processo de discussão e planejamento. Além disso, foram realizados dezenas de encontros de formação sobre o laicato nas paróquias e foranias, e encontros diocesanos de organização, com acompanhamento e apoio da Coordenação e do Secretariado de Pastoral que garantiram autonomia aos trabalhos”, concluiu Farias, relembrando o percurso.

Próximos passos

No próximo dia 21 de julho acontecerá o 3º Encontro Diocesano do Laicato, com representação das paróquias para leitura e aprovação da proposta de estatuto para o Conselho Diocesano. “Este encontro é fundamental, pois será mais um passo na dinâmica de construção do CDL. A proposta do estatuto foi elaborada coletivamente e revisada juridicamente, considerando tanto o Direito Civil como o Canônico, e agora será apresentado para aprovação”, frisou o professor Assis Souza de Moura, que tem acompanhado o processo desde o início.

Com participação de representantes de todas as paróquias, já com estatuto aprovado, no dia 26 de agosto, com organização da Equipe Diocesana de Articulação, e com acompanhamento do CNLB Regional NE 2, será realizada a Assembleia Diocesana do Laicato com criação e eleição do Conselho Diocesano do Laicato.

A Assembleia acontecerá no Santuário do Mestre Pe. Ibiapina, na fronteira dos municípios de Solânea e Arara e, na programação, prevista para todo o dia, consta a participação de Dom Aldemiro Sena, bispo diocesano, e da Coordenação e do Secretariado de Pastoral.

“Cabe ao Conselho eleito, elaborar e apresentar plano de trabalho até o final do ano e, em dezembro, após avaliação, construir ação para os próximos anos, em unidade com as diretrizes do CNLB”, concluiu Farias.

COMPARTILHAR