Iniciemos este ano litúrgico com o nosso olhar da fé focado na oração vigilante para fortalecer nosso desejo de Salvação, para acolher o Menino Jesus, no presépio dos corações mais carentes da nossa sociedade, para que esse Natal seja de fato cristão.

A Palavra de Deus nos convida, nesse início de Advento, a fazer uma faxina geral em nossa mente e no coração, para que a Luz do Menino Deus possa nos iluminar com a sua presença salvadora. E para isso é necessário a vigiar na oração, assim como o foi no início da era cristã, sigamos esse ato de fé cristã, caminho que nos leva ao encontro com o Salvador Jesus, presente nos mais pobres e necessitados. O Senhor Jesus nos pede que redobremos nossa oração para que as festas de fim de ano não nos faça insensíveis à presença de Cristo nos mais necessitados da nossa comunidade.

O ser humano vive num estado de espera permanente pela manifestação da verdade, pela Salvação. O Evangelho manifesta plenamente a verdade. Ele é capaz de preencher o vazio do coração humano, conforme nos atesta a história cristã. Apesar de vivermos numa sociedade capitalista, acobertada por um messianismo mercantilista, ávido do poder e do ter, manchada pela violência e pela corrupção, somos convidados pela Palavra de Deus a ser construtores do novo tempo inaugurado pelo Senhor Jesus (Jr 33,14-16.

Apesar do avanço da tecnologia a frustação humana continua gritante, sem fim. É nesse campo social cruel, que os verdadeiros seguidores de Cristo devem estar atentos na oração vigilante e fazer, pelo testemunho da caridade, com que o Reino de Deus seja visível aos olhares humano, e elimine a frustação dos que perdem a esperança.

O advento é uma proposta da Igreja, um tempo reflexivo, de discernimento de busca da Verdade, do encontro com a Luz divina; é tempo de direcionar o nosso olhar da fé para os sinais da história, que nos apontam para a Salvação que se aproxima. Com toda nossa confiança caminhemos para esse dia da revelação plena da Verdade divina. Devemos intensificar nossa esperança de fé para esse encontro invisível com o Menino Jesus, para eliminar a cegueira da fé que nos dificulta vislumbrar essa realidade já presente em nosso meio. Jesus nos adverte que procedamos atentos e vigilantes, com o coração livre da embriaguez e da comilança, para não tornar o coração insensível à Salvação de se aproxima.

Nos preparemos neste tempo de Advento para transformar, com a graça de Deus, a mentira deste mundo num mundo da Verdade e da Paz!

Lembre-se que o NATAL CRISTÃO não é celebrado apenas com o presépio, com luzes, com bebida ou comida, mas sobre tudo com a caridade feita aos mais pobres da nossa sociedade.

Pe Cícero Roberto de Araújo.

COMPARTILHAR