1º Círculo – Mateus 16,21-27

Tende compaixão de mim, Senhor, clamo por vós o dia inteiro;

Senhor, sois bom e clemente, cheio de misericórdia

para aqueles que vos invocam. (Sl 85)

  1. Preparação do ambiente

Colocar a Bíblia em destaque, velas acesas, toalha de cor branca, tiras de papel com palavras do texto do evangelho do dia.

  1. Oração inicial: Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da terra.

OREMOS: Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Dirigente: Vamos fazer a recordação da vida ou revisão do dia, olhar de perto as coisas da nossa vida.

  1. O que nós pensamos sobre o evangelho de hoje?

 Renunciar a si mesmo não é negar a própria história, mas viver a sua existência nesse dinamismo de entrega a Deus e ao próximo.

  1. a) Canto de aclamação: a critério.
  2. b) Leitura do texto: Mt 16,21-27
  3. c) Momento de silêncio: Interiorização da leitura.

Qual é o meu novo olhar a partir da Palavra?

Dirigente:  Jesus nos repete a pergunta! O que adianta ganhar tudo neste mundo e se esquecer que há algo mais além disso?

– Como você carrega sua cruz?

– Em que vida você aposta a sua?  Nesta ou na outra?

– Você não corre o risco de trocar a vida eterna por coisas perecíveis desta vida?

– Você está ajuntando muitas obras boas para a vida eterna?

  1. Recordando a Palavra

Dirigente: O Mestre ensina que a condição para segui-lo é vencer o egoísmo. Salvaremos nossa vida priorizando o cuidado com os irmãos de caminhada, esquecendo-nos de nós mesmos e servindo sem discriminações a todos, generosamente, e não esperando nenhum tipo de retribuição, nem mesmo a gratidão.

Leitor 1: Renunciar a si mesmo é optar por fazer o outro viver; é lutar contra o instinto de preservação da própria vida. Renunciar a si mesmo é optar por viver a vida de Deus, sem perder o que lhe é próprio; é viver o caminho de Jesus como algo grandioso; é renunciar a todo tipo de egoísmo.

Leitor 2.  Quem quer ser discípulo de Jesus deve viver segundo os seus ensinamentos e seguir este seu grande exemplo.

  1. Preces: (espontâneas)

Dirigente: Com toda confiança, elevemos ao Senhor nossas preces, pois Jesus diz que quem busca encontra, e quem pede recebe.

Resposta: Inclina, Senhor, teu ouvido, escuta nosso pedido.

  1. Vamos rezar ou cantar o Salmo 62 – rezar na Bíblia.

Pai nosso

Ave Maria                                                                                                                                                

Oração e saudação da paz

  1. Bênção BÍBLICA: Invoquemos, com confiança, a bênção do Senhor: O Senhor nos abençoe e nos guarde! O Senhor nos mostre o seu rosto brilhante e tenha piedade de nós! O Senhor nos mostre o seu rosto e nos conceda a paz! (Nm 6,24-27).

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!

Todos (as): Para sempre seja louvado!

 

2º Círculo – Mateus 18,15-20

Vós sois justo, Senhor, e justa é a vossa sentença; tratai o vosso servo

segundo a vossa misericórdia (Sl 118).

  1. Preparação do ambiente

Colocar a Bíblia em destaque, velas acesas, toalha de cor branca, tiras de papel com palavras do texto do evangelho do dia.

 Oração inicial: Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da terra.

OREMOS: Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

  1. Olhar a prática da nossa comunidade ou do nosso grupo.

Dirigente:   No texto do Círculo de hoje, Jesus nos fala da necessidade de perdoar o irmão, a irmã. Não é fácil perdoar. Pois certas mágoas continuam machucando o coração. Há pessoas que dizem: “Eu perdoo, mas não esqueço! ” Rancor, tensões, brigas, opiniões diferentes, ofensas, provocações dificultam o perdão e reconciliação. Vamos conversar sobre isso.

  1. Olhar a prática de Jesus

 Vamos ouvir a segunda parte do “Sermão da Comunidade”, em que Jesus insiste na reconciliação e no perdão. Durante a leitura pense em você mesmo (a), e procure fazer uma revisão de sua vida.

  1. a) Canto de aclamação: a critério.
  2. b) Leitura do texto: Mt 18, 15-20
  3. c) Momento de silêncio: Interiorização da leitura

Perguntas para a reflexão:

  1. Vamos lembrar juntos o texto. Qual o ponto que mais chamou sua atenção?
  2. Quais são os vários conselhos que Jesus nos dá para ajudar a gente a reconciliar e perdoar?
  3. No capítulo 16, 19, Jesus tinha dado o poder de perdoar a Pedro. Aqui, o poder de perdoar é dado à comunidade. Como nossa comunidade usa o poder de perdoar que Jesus lhe confere?
  4. Jesus disse: “ Onde dois ou três estão reunidos em meu nome, estarei no meio deles”. O que significa isto para nós?
  5. Preces: (espontâneas)

Dirigente: Senhor, somos responsáveis uns pelos outros. Inclinai vosso coração misericordioso e escutai-nos, na solicitude de vosso amor. Confiantes, vos suplicamos: Senhor fazei-nos viver na fraternidade e na paz.

  1. Vamos rezar ou cantar o Salmo 94 – rezar na Bíblia.

Pai nosso

Ave Maria                                                                                    

Oração e saudação da paz

  1. Bênção BÍBLICA: Invoquemos, com confiança, a bênção do Senhor: O Senhor nos abençoe e nos guarde! O Senhor nos mostre o seu rosto brilhante e tenha piedade de nós! O Senhor nos mostre o seu rosto e nos conceda a paz! (Nm 6,24-27).

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!

Todos (as): Para sempre seja louvado!

 

3º Círculo – Mateus 18, 21-35

Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura e a vossa compaixão, que são eternas! De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia e sois bondade sem limites, ó Senhor! (Sl 24/25)

 Preparação do ambiente

Colocar a Bíblia em destaque, velas acesas, toalha de cor branca, tiras de papel com palavras do texto do evangelho do dia.

  1. Oração inicial: Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da terra.

OREMOS: Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

  1. O que nós pensamos sobre o evangelho de hoje?

Dirigente: O texto de hoje apresenta o tema dominante de todo o discurso: o perdão. Não se trata de quantificar o perdão, mas de imitar a compaixão de Deus que perdoa toda dívida.

Leitor 1.  A experiência, consciência e reconhecimento de ter sido perdoado por Deus, tem para o membro da comunidade uma implicação prática: perdoar. Nesse sentido, os versículos 32b-33 resumem o ensinamento da parábola: “. eu te perdoei toda a tua dívida, porque me suplicaste. Não devias tu também ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?”.

  1. a) Canto de aclamação: a critério.
  2. b) Leitura do texto: Mt 18, 21-35
  3. c) Momento de silêncio: Interiorização da leitura.

Qual é o meu novo olhar a partir da Palavra?

 – A nossa comunidade é espaço alternativo de solidariedade e fraternidade?

– Perscrute o seu coração: Quanta mágoa e ressentimento estão aí guardados?

– Qual é a medida do seu perdão?

– O que Deus nos diz nesse evangelho?

– Qual é a realidade que nos cerca?

– Qual é a resposta que vamos dar ao Senhor?

  1. Recordando a Palavra

Dirigente: O Evangelho ensina a construir uma Igreja que perdoa – até setenta vezes sete, isto é, sem impor limites, sem contabilizar débitos e créditos – que perdoa como desejamos que o Pai Celeste nos perdoe. Igreja que perdoa, porque sabemos que tudo é dom da Graça de Deus, a começar pela Vida e a Fé.

  1. Preces: (espontâneas)

Dirigente: Irmãos e irmãs, cheios de confiança e de esperança, coloquemos no coração do Pai as súplicas da Igreja   e aquelas que trazemos em nosso coração.

Resposta: Deus de misericórdia, ouvi-nos!

  1. Vamos rezar ou cantar o Salmo 102 – rezar na Bíblia.

Dirigente: Rezo a oração do Senhor, pedindo a graça de buscar e acolher o sacramento da reconciliação.

Pai nosso

Ave Maria              

Oração e saudação da paz 

  1. Bênção BÍBLICA: Invoquemos, com confiança, a bênção do Senhor: O Senhor nos abençoe e nos guarde! O Senhor nos mostre o seu rosto brilhante e tenha piedade de nós! O Senhor nos mostre o seu rosto e nos conceda a paz! (Nm 6,24-27).

Louvado seja nosso Senhor Jesus

 

4º Círculo – Mateus 20, 1-16

  Eu sou a salvação do povo, diz o Senhor, se clamar por mim em qualquer provação, eu o ouvirei e serei seu Deus para sempre”.

  1. Preparação do ambiente

Colocar a Bíblia em destaque, velas acesas, toalha de cor branca, tiras de papel com palavras do texto do evangelho do dia.

  1. Oração inicial: Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da terra.

OREMOS: Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

  1. O que nós pensamos sobre o evangelho de hoje?

Dirigente: A parábola, em primeiro lugar, revela que Deus é bom. A expressão dessa bondade é que ele chama a todos para a sua vinha. O amor  e a  bondade de Deus não são calculados. Em todo tempo, o Senhor toma a iniciativa de chamar a todos para o seu Reino. O amor não se compra, ele é oferecido. A justiça de Deus é amar sem distinção e sem medida.

Leitor 1. Aos olhos de Deus, o importante é ouvir o convite e aceitar os trabalhos na vinha. Este é o verdadeiro e justo salário. O amor de Deus toca as pessoas; ele não faz diferença. O essencial é acolhê-lo.

  1. a) Canto de aclamação: a critério.
  2. b) Leitura do texto: Mt 20, 1-16a
  3. c) Momento de silêncio: Interiorização da leitura.

Perguntas para a reflexão:

 – Qual é o projeto de vida que Deus nos oferece?

– A sociedade se preocupa em dar a cada um o que é seu?

– E você, se preocupa em receber mais que os outros?

– Somos chamados a colocar o projeto de Deus em primeiro lugar na nossa vida?

– Deus é misericordioso para conosco. E nós?

– Deus nos busca para trabalhar em sua vinha. Será que assumimos, generosamente, nossas responsabilidades?

  1. Recordando a Palavra

Dirigente: A parábola quer nos fazer compreender que no Reino do Céu não prevalece a contabilidade de créditos/débitos/saldo, mas o que conta é a gratuidade do Amor. Ela se põe aqui como um convite para que nós nos guiemos, já nesta terra abençoada em que vivemos, pela mesma lei do Amor, esquecendo-nos de nossas contas miúdas…

  1. Preces: (espontâneas)

Dirigente: Irmãos e irmãs, cheios de confiança e de esperança, coloquemos no coração do Pai as súplicas da Igreja e aquelas que trazemos em nosso coração.

Resposta: Deus de misericórdia, ouvi-nos!

  1. Vamos rezar ou cantar o Salmo 144- rezar na Bíblia.

Dirigente: Rezo a oração do Senhor, pedindo a graça da esperança e do acolhimento da vossa vontade.

Pai nosso

Ave Maria

 Oração conclusiva

 Pai Santo, faze-nos agradecidos pelos dons e talentos que recebemos de tua misericórdia de Pai, que também é Mãe, e generosos para partilhá-los com os companheiros de peregrinação nesta vida. Queremos seguir os passos do Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.                                                                                                       

  1. Bênção BÍBLICA: Invoquemos, com confiança, a bênção do Senhor: O Senhor nos abençoe e nos guarde! O Senhor nos mostre o seu rosto brilhante e tenha piedade de nós! O Senhor nos mostre o seu rosto e nos conceda a paz! (Nm 6,24-27).

Louvado seja nosso Senhor Jesus

 

COMPARTILHAR