Em meio à pandemia, não só as ruas estão vazias, mas também a Catedral de Guarabira, onde o bispo diocesano Dom Aldemiro Sena presidiu à celebração eucarística neste Domingo de Ramos.

Com o bispo, o padre Kleber Rodrigues – administrador paroquial da Catedral, seminaristas, Pascom e a equipe litúrgica em número reduzido.

As folhas de palmeiras e os ramos lembravam a entrada triunfante de Jesus em Jerusalém. A procissão se deu da porta principal da Catedral até o altar-mor.

Na abertura solene desta Semana Santa atípica, com celebrações sem a presença física do povo, que apenas acompanha de casa pelos meios de comunicação, Dom Aldemiro lembrou em sua homilia que o projeto libertador de Jesus entrou em choque com a atmosfera de egoísmo e opressão que dominava o mundo. As autoridades políticas e religiosas sentiram-se incomodadas com a denúncia de Jesus: não estavam dispostas a renunciar a esses mecanismos que lhes asseguravam poder, influência, domínio, privilégios; não estavam dispostas a arriscar, a desinstalar-se e a aceitar a conversão proposta por Jesus. Por isso, prenderam Jesus e o pregaram numa cruz.

“Contemplar a cruz de Jesus significa assumir a mesma atitude de amor e entrega e solidarizar-se com aqueles que são crucificados neste mundo: os que sofrem violência, os que são explorados, os que são excluídos, os que são privados de direitos e de dignidade; significa aprender com Jesus a entregar a vida por amor”, explicou o bispo.

Dom Aldemiro concluiu destacando que a morte de Jesus é a consequência do anúncio do “Reino”: que provocou tensões e resistências entre os que dominavam o poder.

Durante a celebração foram feitas preces e orações pelas vítimas da covid-19 e pelos profissionais de saúde que cuidam do povo.

O padre Kleber orientou a todos os fiéis que permaneçam em suas casas e acompanhem a Semana Santa via rádio ou internet, a exemplo das transmissões da quinta-feira santa, às 19h, sexta-feira santa, às 15h, sábado de aleluia, às 20h, e domingo de páscoa, às  8:30h.

PASCOM – Pastoral da Comunicação