Para celebrar os 40 anos de sua criação, a Diocese de Guarabira Dedicou a Deus, no último dia 11 de outubro, sua Igreja Catedral de Nossa Senhora da Luz em Santa Missa Solene, presidida pelo bispo diocesano Dom Aldemiro Sena, concelebrada pelo bispo diocesano de Grajaú, Dom Rubival Cabral. Nessa solene concelebração, estavam presentes Pe. José André – Vigário Geral; Pe. Kleber Rodrigues – Pároco e Cura da Catedral de Nossa Senhora da Luz – e demais membros do clero diocesano, como também, religiosos, religiosas, seminaristas e fiéis leigos representantes das diversas pastorais, grupos, movimentos e serviços de nossa Diocese.

Para Dom Aldemiro Sena, “dedicar uma Igreja é sinalizar a consagração do Povo na fé e vocacioná-lo para cumprir a vontade de Deus, assim como Jesus o fez após o seu batismo no Rio Jordão, do qual Ele saiu ungido, dedicado totalmente ao Pai”. Semelhantemente ao templo erguido pelo Rei Salomão, conforme acentuou a liturgia da celebração, na Igreja Catedral está o nome do Senhor, uma vez que são colocadas, diante do altar, preces, súplicas e orações tendo a convicção de que Ele faz-se presente, habitando no templo edificado (cf 1Rs 8,22-23.27-30). No relato evangélico desta Solenidade, o próprio Jesus age na força do seu Espírito, para louvor e glória do Pai, quando purifica o Templo expulsando vendilhões e cambistas (cf. Jo 2,13-22). A Dedicação da Catedral de Nossa Senhora da Luz constituiu uma ação de graças pela fundação da Diocese de Guarabira, a qual foi erigida canonicamente em 1980, sob o pontificado de São João Paulo II através da Bula Cum Exoptaret. Assim, simboliza 40 anos de vida e missão. A partir desta Igreja Catedral, toda a Igreja Diocesana é consagrada e dedicada a Deus, para vivenciar o ano jubilar da Diocese, seguindo as inspirações do Espírito e buscando percorrer os caminhos de Deus para a ação pastoral, sendo uma Igreja acolhedora, samaritana, missionária e profética. A Catedral de Nossa Senhora da luz é a Igreja do Bispo, sucessor dos Apóstolos, por isso, é considerada a Mãe de todas as Igrejas e paróquias diocesanas.

Na sua homilia, Dom Aldemiro enfatizou três aspectos da fé que foram/são acentuados tendo em vista a Solenidade da Dedicação. O primeiro corresponde à perspectiva de que todo templo cristão dedicado a Deus é imagem do próprio Cristo: Ele, no seu corpo ressuscitado, é o verdadeiro templo que brota a água da vida, a água que simboliza o Espírito Santo. Por tudo isso, há veneração e respeito para com os templos, porque são imagem do próprio corpo ressuscitado de Cristo, fonte do Espírito e lugar de encontro com o Pai.

O segundo aspecto é a constituição da Igreja enquanto comunidade, o templo é o espaço sagrado no qual a Igreja-Comunidade se reúne no Espírito Santo para, unida ao Filho Jesus, elevar o louvor de glória ao Pai, sobretudo na Eucaristia.

Por último, a Festa da Dedicação é um convite para rezar pela Igreja Diocesana, entendendo como necessária a comunhão com o bispo, a fim de obter a garantia de que estar naquela comunhão é permanecer na fé apostólica, sem deixar-se guiar por um cristianismo alheio àquilo que o Senhor Jesus pensou e estabeleceu.

A dedicação de uma Igreja ao Senhor possibilita uma consagração de um templo, todavia, ao mesmo tempo, permite ao homem rememorar que ele é o verdadeiro templo vivo de Deus. Nesse viés, Santo Agostinho ressaltou: A dedicação da casa de oração é festa da nossa comunidade. Mas, nós mesmos somos a Casa de Deus. Somos construídos neste mundo e seremos solenemente dedicados no fim dos tempos”.

No altar, durante a celebração da Dedicação, foram depositadas as relíquias de Santa Dulce dos Pobres e São Vicente de Paulo. Os exemplos de ambos os santos da Igreja suscitam, nos corações da comunidade diocesana, a caridade manifestada no amor para com os pobres, recordando aquele amor e o serviço com o qual se dedicou durante toda a sua vida o apóstolo da caridade Padre Mestre Ibiapina. Atualmente, vive-se tempos difíceis, tempos de crise que exigem de todos um olhar mais atento às necessidades de outrem. Nesse sentido, a Dedicação da Igreja Catedral, providencialmente, alinha-se a este contexto, porque exalta que toda e qualquer pessoa é templo habitado por Deus. Entender esta dimensão requer a prática da compaixão, do cuidado e do amor para com outro, fazendo deste um convite direcionado à Diocese de Guarabira neste ano jubilar.

 

Por: PASCOM Diocesana.